ANÁLISE DAS OBRAS LITERÁRIA E CINEMATOGRÁFICA O FANTASMA DA ÓPERA: SOB A ÓTICA DA INDÚSTRIA CULTURAL

Autores

  • Ana Raquel Périco Mangili Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - Unesp.

Palavras-chave:

Indústria Cultural, O Fantasma da Ópera, Theodor Adorno, Estudo de Casos

Resumo

Este artigo tem por objetivo utilizar o conceito de Indústria Cultural, elaborado pelos filósofos Theodor Adorno e Max Horkheimer em 1947, como base para a análise da obra literária –O Fantasma da Ópera-, de autoria do francês Gaston Leroux, e de sua adaptação cinematográfica, produzida por Joel Schumacher e Andrew Webber em 2004. Para este fim, através de uma revisão da literatura concernente ao tema, também será feita uma breve exposição sobre o conceito de Indústria Cultural, bem como sua relação com o Erotismo, pois esses dois conceitos são fundamentais para se empreender a análise das obras literária e cinematográfica citadas acima. Com base nas reflexões desenvolvidas neste artigo, pode-se concluir que, apesar da obra literária –O Fantasma da Ópera- constituir originalmente uma crí­tica à Indústria Cultural, sua adaptação cinematográfica de 2004 se deu seguindo os moldes e padrões estéticos dessa mesma Indústria a qual pretendia criticar, dessa forma contradizendo o elemento crí­tico original da história.

Biografia do Autor

Ana Raquel Périco Mangili, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - Unesp.

Graduanda em Comunicação Social - Jornalismo.

Downloads

Publicado

2014-11-01

Como Citar

Périco Mangili, A. R. (2014). ANÁLISE DAS OBRAS LITERÁRIA E CINEMATOGRÁFICA O FANTASMA DA ÓPERA: SOB A ÓTICA DA INDÚSTRIA CULTURAL. Revista Filosofia Capital - ISSN 1982-6613, 9(16), 49–57. Recuperado de https://filosofiacapital.org/index.php/filosofiacapital/article/view/262