CECÍLIA MEIRELES, A EDUCAÇÃO NOVA E O COMPROMISSO COM A EDUCAÇÃO

Autores

  • Idelena Prizon INSTITUTO FEDERAL DO PARANA, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná.

Palavras-chave:

Cecília Meireles, Escola Nova, Educação.

Resumo

A educadora e escritora Cecília Meireles viveu em um período social e político fundamental para o Brasil. Juntamente com mais 25 intelectuais, defendeu o documento criado a partir do Manifesto dos Pioneiros da Escola Nova, o qual circulou por todo país e teve como objetivo oportunizar uma política de educação, funcionando como um plano a nível nacional destinado a estruturar o sistema educacional do país. Como inspiração e fundamentação para docência, Cecília colaborou com grandes textos sobre a educação, os quais não receberam o devido cuidado em sua leitura, mas representam uma rica fonte de pesquisa para pessoas que estão inseridas na área da educação. Embasando-se nessas reflexões, o presente trabalho tem como objetivo principal investigar as contribuições de Cecília Meireles no contexto educacional, destacando seus desafios em defesa da educação, identificando quais são as suas contribuições para educação brasileira, analisando o contexto social e político vivenciado pela escritora e discutindo sobre as reflexões que Cecília trouxe em torno dos conceitos de infância e criança nas crônicas escritas por ela na década de 30. Ademais, em razão de Cecília Meireles ser partidária da Escola Nova, assim como Fernando de Azevedo e Anísio Teixeira, defendia uma escola pública, laica e obrigatória. Palavras-Chave: Cecília Meireles; Escola Nova; Educação.

Biografia do Autor

Idelena Prizon, INSTITUTO FEDERAL DO PARANA, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná.

Licenciada em Ciências Biológicas e Química. Especialista em Ciências.

Downloads

Publicado

2023-12-29

Como Citar

Prizon, I. (2023). CECÍLIA MEIRELES, A EDUCAÇÃO NOVA E O COMPROMISSO COM A EDUCAÇÃO. Revista Filosofia Capital - ISSN 1982-6613, 19(25), 128–134. Recuperado de https://filosofiacapital.org/index.php/filosofiacapital/article/view/479