SOBRE O MÉTODO DE ESTUDOS DE VICO: A RELEVÂNCIA SOCIAL DO SENSO COMUM

Autores

Palavras-chave:

filosofia moderna, antirracionalismo, humanismo

Resumo

Este artigo objetiva discutir a relevância social do senso comum atribuída pelo filósofo Giambattista Vico em sua obra De ratione. Nessa obra, Vico assume uma defesa da retórica ciceroniana e se opõe à lógica de Port Royal de inspiração cartesiana. Tal retórica sugere recorrer ao conhecimento de senso comum para conseguir atingir o público e conduzi-lo para as verdades primeiras. Entretanto, no século XVIII, o método de estudos assumia uma tendência mais próxima do racionalismo, privilegiando as chamadas verdades primeiras, enquanto refutavam as chamadas verdades segundas, as quais constituem o senso comum. Aquele método de estudos que valoriza apenas as verdades primeiras acaba por afastar os jovens dos conhecimentos das verdades segundas e cria obstáculos para que eles consigam desenvolver tanto a sua eloquência quanto a sua prudência. Se os jovens conhecerem apenas as verdades primeiras terão sua eloquência enfraquecida, descartarão os conhecimentos que geram memória e fantasia, prejudicando o desenvolvimento de outras artes como: a pintura, a poética, a oratória e a jurisprudência. Por conseguinte, Vico percebe que o conhecimento de senso comum tem utilidade para a ética, para a política, para a ciência e a filosofia. Palavras-Chave: filosofia moderna; antirracionalismo; humanismo

Biografia do Autor

Marcelo Lopes Rosa, Instituto Federal do Paraná campus Paranavaí; Universidade Federal de Uberlândia.

Professor de Filosofia do IFPR campus Paranavaí. Mestre em Filosofia pela UEM. Doutorando em Filosofia pelo IFILO da UFU.

Downloads

Publicado

2023-12-29

Como Citar

Rosa, M. L. (2023). SOBRE O MÉTODO DE ESTUDOS DE VICO: A RELEVÂNCIA SOCIAL DO SENSO COMUM. Revista Filosofia Capital - ISSN 1982-6613, 19(25), 87–97. Recuperado de https://filosofiacapital.org/index.php/filosofiacapital/article/view/480