O IMPACTO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO MUNDO DO TRABALHO E SUAS IMPLICAÇÕES NOS DIREITOS SOCIAIS

Autores

  • Kátia Tatiane de Oliveira Brito Gonzaga

DOI:

https://doi.org/10.51497/rfc.v20n26-003

Palavras-chave:

Trabalho, Informalidade, Precariedade, Redução de Direitos, Desigualdades Sociais

Resumo

O presente estudo propõe analisar como o neoliberalismo e a reestruturação produtiva têm contribuído para o surgimento de novas formas de gestão do trabalho dentro da nova ordem produtiva assumida pelo sistema capitalista na contemporaneidade. Desta forma, buscou-se compreender as transformações econômica, organizacional das condições de trabalho vivenciadas após a crise de recessão de meados da década de 1970, um período crucial para uma nova investida do sistema capitalista. E diante das imposições e restrições do trabalho assalariado que vem fazendo surgir novas categorias de trabalho, geradas pelas lacunas funcionais do sistema capitalista e sobre os déficits de ordem Estatal. Num estado de contradição a informalidade tem se transformado em um único mecanismo de garantia da sobrevivência, o que foi constatado na pesquisa. Existem trabalhadores que referenciam a informalidade como um lugar da autonomia, da possibilidade, de definir seus próprios modos de trabalhar. Acreditam que o fato de não possuírem patrão não são explorados. No entanto considera-se que a informalidade não rima com acesso aos direitos ou proteções, uma vez que em situações de penúria ou dificuldades os trabalhadores não dispõem de um sistema previdenciário, sobrevivem à própria sorte.

Referências

ANTUNES, R. L. C. Os Sentidos do trabalho: ensaios sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 1999.

ANTUNES, R. L.C. Adeus ao trabalho?: ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. 6. Ed. São Paulo: Cortez, 1995.

CASTEL, R. As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

HARVEY, D. Condições pós-moderna. 2º Ed. São Paulo. Loyola,1993.

IAMAMOTO, M. V. Serviço social em tempo de capital fetiche: capital financeiro, trabalho e questão social. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 7.ed. São Paulo: Atlas, 2010. 297 p.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Técnicas de Pesquisa: planejamento e execução de pesquisa, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 4 ed. São Paulo: Atlas, 1999.

MARX, K. O capital: crítica de economia política. 12. Ed. São Paulo: Civilização Brasileira, 1989, 3.v.

MINAYO, M. C. de S. (Et al.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade . 4. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995. 80 p. (Coleção temas sociais ;1) ISBN 85-326-1145-1

OFFE, C. Capitalismo desorganizado: transformações contemporâneas do trabalho e da política . São Paulo: Brasiliense, 1995.

PAULILO, M. Â. S. A pesquisa qualitativa e a história de vida. Rev. Serviço Social em revista, Londrina, v.2, n.1, Jul/Dez. 1999. . Acessado em 18 nov. 20.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo, Ática, 1987.

CHARAUDEAU, P.; MAINGUENEAU, D. Dicionário de análise do discurso. São Paulo: Contexto, 2004.

PERELMAN, C.; OLBRECHTS-TYTECA, L. Tratado da argumentação: a nova retórica. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

Downloads

Publicado

2024-06-13

Como Citar

Gonzaga, K. T. de O. B. (2024). O IMPACTO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO MUNDO DO TRABALHO E SUAS IMPLICAÇÕES NOS DIREITOS SOCIAIS. Revista Filosofia Capital - ISSN 1982-6613, 20(26), e521. https://doi.org/10.51497/rfc.v20n26-003

Edição

Seção

Artigos